apologetica

Open full view…

Calça feminina

gabriel12345
Sat, 23 Jan 2021 02:12:14 GMT

Esse tópico possui muitas discussões no meio católico, a calça feminina é modesta ou não?

gabriel12345
Sun, 24 Jan 2021 00:08:31 GMT

Ja tinha visto esse site antes, Paulo. Perguntei pois queria a opnião de vocês. Obrigado pelas respostas.

gabriel12345
Thu, 28 Jan 2021 20:21:54 GMT

Achei um texto contra a calça, vou colocar aqui. Apesar de eu achar exagerado em alguns pontos.

gabriel12345
Thu, 28 Jan 2021 20:27:40 GMT

CALÇA FEMININA É UM ATAQUE À FEMINILIDADE DA MULHER por Dom Williamson. Caros Amigos e Benfeitores: O final do Verão pode não parecer ser o mais inteligente momento de optar por escrever sobre o vestuário da mulher. Certamente a chegada, em vez de a partida do clima quente seria o momento para investir contra as roupas indiscretas. No entanto, acontece que várias senhoras neste verão vieram a mim e levantaram a questão das mulheres vestindo calças ou shorts, e o problema é mais amplo e profundo do que apenas imodéstia, embora a imodéstia seja grave. Dom Antônio de Castro Mayer, por exemplo, costumava dizer que as calças em uma mulher são piores do que a minissaia, porque enquanto a minissaia é sensual e ataca os sentidos, as calças são ideológicas e atacam a mente. Pois realmente as calças das mulheres, como as usadas hoje, curtas ou longas, modestas ou imodestas, apertadas ou soltas, claras ou disfarçadas (como os “culottes”), são uma agressão contra a feminilidade da mulher e por isso representam uma revolta profunda e mentirosa contra a ordem querida por Deus. Isto pode ser menos verdadeiro do que os longos “culottes”, calças que mais se aproximam de uma saia, e na melhor das hipóteses confundidos com saias, mas na medida em que os “culottes” estabelecem o princípio da divisão de vestuário exterior da mulher da cintura para baixo, eles simplesmente disfarçam a desordem grave. Que desordem? No princípio, Deus criou o homem e a mulher, ambos humanos, mas bastante diferentes, em primeiro lugar o homem, segundo a mulher (Gênesis I, 27; II, 22); mulher para ajudar o homem como ele próprio (Gênesis II, 18), mulher para o homem, não o homem para a mulher (I Coríntios. XI, 9), pois “o homem não é da mulher mas a mulher é do homem” (I Coríntios. XI, 8). Assim, aconteceu que mesmo antes do pecado original Deus ordenou a distinção entre o homem e a mulher, a desigualdade, e a liderança do homem sobre a mulher com o propósito de viver em sociedade e na família sobre a terra. O pecado original, pelo qual Eva fez Adão pecar e não o contrário (I Tim II, 14), implicou que Eva fosse punida, entre outras coisas, pela manobra da sua subordinação natural e indolor a Adão em uma dominação punitiva dele sobre ela, pois ela tinha mostrado, seduzindo-o, que ela precisava ser controlada… “Estarás sob o poder de teu marido, e ele terá domínio sobre ti” (Gênesis III, 16). Daí para frente, com a transmissão do pecado original a todos os filhos de Adão, passa para todas as filhas de Adão (exceto, é claro, a Santíssima Virgem Maria) esta subordinação punitiva. Tal como acontece com todos os problemas do pecado, a única solução verdadeira é a graça de Nosso Senhor Jesus Cristo. Por exemplo, o domínio penoso do homem sobre a mulher é evidente em todas as civilizações e culturas não cristãs e reaparece em nossa atual cultura anticristã. Enquanto que, por outro lado, no matrimônio católico, pela graça sobrenatural, essa subordinação da mulher ao homem se torna cada vez mais, de acordo com sua natureza, proveitosa para os dois, como o era a submissão de Eva antes de ela e Adão caírem. Mas, fora com o Éden e graça! O mundo moderno não aceita nenhuma das soluções de Jesus Cristo para os problemas de Adão e Eva. Fazendo ídolos de liberdade e igualdade, recusando qualquer desigualdade ou subordinação da mulher ao homem, ele irá negar qualquer distinção entre eles, ele nega, claro, qualquer ordem de Deus em Sua criação, qualquer necessidade de Redenção, e ele vai negar, se necessário, a própria existência de Deus. O feminismo hoje está intimamente ligado à feitiçaria e ao satanismo. Quanto à verdadeira feminilidade da mulher, sua importância não pode ser exagerada. Tudo gira em torno das mulheres sendo essencialmente concebidas por Deus para a maternidade, para a educação dos filhos neste mundo, para a sua criação, para a doação da vida, do calor, do amor, do cuidado e da nutrição. Tudo representado pelo leite materno. Para isso os homens não são projetados, disso eles são intrinsecamente incapazes, ainda que isso dependam totalmente para que possam tornar-se seres humanos, em oposição aos desumanos. Em um valioso livro, “The Flight from Woman“, um refinado psiquiatra judeu, Karl Stern, conta como ele podia discernir em incontáveis males dos pacientes da cidade grande, vindos ao seu consultório em Toronto após a Segunda Guerra Mundial, um padrão de falta de feminilidade com a qual ele estava familiarizado através das obras de famosos escritores modernos, como Goethe, Descartes, Tolstoi, Ibsen – não uma falta de mulheres, mas a falta de erdadeiras mulheres femininas, porque os homens e mulheres modernos estão igualmente tripudiando sobre as qualidades e virtudes femininas. Shakespeare destilou esse espírito em Lady Macbeth, protofeminista e satanista: “Vinde espíritos, que velais sobre os pensamentos mortais! Retirai-me o sexo e, dos pés à cabeça, enchei-me até transbordar da mais implacável crueldade! Vinde a meus seios e convertei meu leite em fel, vós gênios do assassinato” (Ato I, Cena. V). Valha-nos Deus! A feminilidade das nossas mulheres está sendo erradicada e o resultado é um modo de vida fadado à autodestruição, condenado a abortar. Meninas, sejam mães, e, a fim de serem mães, não deixem que cavalos selvagens arrastem-nas em shorts ou calças. Quando as atividades que lhes forem propostas exigirem o uso de calça, se for algo que a sua bisavó fez, então encontre uma maneira de fazê-lo, como ela, usando saia. E se a sua bisavó não fez isso, então esqueça! A geração dela criou seu país, e a sua geração está destruindo-o. É claro que nem todas as mulheres que usam calças abortam o fruto de seu ventre, mas todas ajudam a criar a sociedade abortiva. Antigo é bom, moderno é suicida. Querem parar o aborto? Façam-no pelo exemplo. Nunca usem calças ou shorts. D. Antônio de Castro Mayer estava certo. Muito sinceramente no Sagrado Coração de Jesus, +Richard Williamson.

Thiago Santos de Moraes
Fri, 29 Jan 2021 03:43:14 GMT

Não achei o texto exagerado, achei-o errado mesmo; as consequências não se depreendem dos princípios apresentados.

gabriel12345
Fri, 29 Jan 2021 05:42:46 GMT

Pode explicar o porque achou errado?

Carlos Ribeiro
Fri, 29 Jan 2021 16:12:29 GMT

Aderi à posição de Thiago em 2010. > Questione caro leitor, uma Senhora com mais de 80 anos, o que significava usar uma calça antigamente. Eu já tive essa postura do "antigamente", mas minha avó de 84 anos usa calças e a avó da minha esposa, que morreu com 91, usava calças normalmente.

gabriel12345
Fri, 29 Jan 2021 16:19:38 GMT

As minhas avós também usam calça sem problema.

Thiago Santos de Moraes
Fri, 29 Jan 2021 16:49:53 GMT

E certamente elas não querem ser homens e nem sensualizam... então, como disse, os princípios apresentados, em especial a diferenciação acidental homem-mulher que foi posta por Deus no início de tudo, e deve nos servir de modelo, só circunstancialmente se concretizam no uso ou não de uma certa peça de roupa. Infelizmente essas ideias ainda são muito espalhadas em certos meios; lembro de um padre tradicionalista, ligado à FSSPX, que me disse que teve de fazer uma monografia para seu superior defendendo que o uso de calças por mulheres não representa nenhum problema em si mesmo após de sido alvo de "denúncias" dos membros de um certo grupo brasileiro por defender essa posição (detalhe sujo: usavam a confissão para espionar as opiniões do padre).

gabriel12345
Fri, 29 Jan 2021 21:56:46 GMT

Eles tratam a calça como se fosse um verdadeiro pandemônio que iniciou toda essa tragédia que acontece com a mulher atualmente.

gabriel12345
Fri, 29 Jan 2021 23:05:41 GMT

Pode ignorar meu último post, ficou muito mal escrito.

gabriel12345
Thu, 25 Feb 2021 20:05:43 GMT

Lembro de ouvir um padre sedevacantista dizendo que é preferível uma mulher ficar desemprega do que usar calças no trabalho.

nelsonbk23
Tue, 02 Mar 2021 19:57:41 GMT

> @Thiago Santos de Moraes > E certamente elas não querem ser homens e nem sensualizam… então, como disse, os princípios apresentados, em especial a diferenciação acidental homem-mulher que foi posta por Deus no início de tudo, e deve nos servir de modelo, só circunstancialmente se concretizam no uso ou não de uma certa peça de roupa. Infelizmente essas ideias ainda são muito espalhadas em certos meios; lembro de um padre tradicionalista, ligado à FSSPX, que me disse que teve de fazer uma monografia para seu superior defendendo que o uso de calças por mulheres não representa nenhum problema em si mesmo após de sido alvo de “denúncias” dos membros de um certo grupo brasileiro por defender essa posição (detalhe sujo: usavam a confissão para espionar as opiniões do padre). Seria interessante ler essa monografia. Deve ter muitos bons argumentos e citações teológicas. O Padre Ripperger (FSSP) diz que o uso da calça não é imoral em si mesmo. https://tradcatfem.com/20 19/01/03/modesty-and-the-danger-of-scrupulosity/ Padre Niklaus Pfluger (FSSPX) também diz o mesmo: https://catholiccandle.neocities.org/priests/pfluger-culture-women-trousers.html

Thiago Santos de Moraes
Tue, 02 Mar 2021 20:18:34 GMT

Infelizmente acho que ela só foi disponibilizada para o superior... eu, particularmente, não preciso de mais nada além do bom senso. Vou dar uma olhada nesses textos, não os conhecia ;)

Thiago Santos de Moraes
Tue, 02 Mar 2021 20:24:07 GMT

O primeiro link, na verdade, remete a essa palestra: [Modesty: Clothing](https://youtu.be/-XWF4sLVihQ)

Paulo Vinícius Costa Oliveira
Tue, 02 Mar 2021 22:15:47 GMT

Nenhuma roupa é imoral em si mesma.

gabriel12345
Tue, 02 Mar 2021 23:15:10 GMT

> @Paulo Vinícius Costa Oliveira > Nenhuma roupa é imoral em si mesma. E o biquini?

Paulo Vinícius Costa Oliveira
Tue, 02 Mar 2021 23:55:22 GMT

Em si mesmo não é. Algo imoral em si mesmo é algo que não permite nenhum bom uso. Se eu só tiver um biquini e der a uma mendiga que está nua, o uso de tal peça será moralmente bom, nessas circunstâncias.

Thiago Santos de Moraes
Tue, 02 Mar 2021 23:58:30 GMT

Perfeito.

nelsonbk23
Tue, 02 Mar 2021 23:59:34 GMT

Ah, sim. Expressei mal a ideia do padre, então. Na verdade, o padre Ripperger diz que não é pecado. While it is not sinful for a woman to wear pants, due to modern-day customs and culture, it is more perfect for a woman to dress in a manner that enhances her femininity. It is more virtuous for a woman to wear a dress or a skirt, as it more perfectly fits her as a woman because it is more feminine and therefore, it is more modest

gabriel12345
Wed, 03 Mar 2021 00:25:55 GMT

> @Paulo Vinícius Costa Oliveira > Em si mesmo não é. Algo imoral em si mesmo é algo que não permite nenhum bom uso. Se eu só tiver um biquini e der a uma mendiga que está nua, o uso de tal peça será moralmente bom, nessas circunstâncias. Não tinha parado para pensar nisso, boa reflexão.

next